NTM - Núcleo de Tecnologia de São José- SC - BRASIL

O Núcleo de tecnologia disponibiliza aos educadores e demais integrantes da Web este blog com objetivo de divulgar tecnologias que podem auxiliar na educação dos alunos. Postamos também projetos e notícias relativas a rede municipal de ensino de São José, SC. Existem dezenas de postagens e soluções para contribuir no seu dia a dia, vale apena conferir. Você pode traduzir as postagens em vários idiomas!

quinta-feira, 15 de março de 2018

Neil deGrasse Tyson: Why a Colony on Mars is Unlikely to Happen - at the World Government Summit 2018 in Dubai - Legendado

Dr. Neil deGrasse Tyson was invited to give a speech on “The Future of Colonizing Space “ at the WG Summit 2018 in Dubai. In his traditional style he looks at the history of human explorations to show that the right circumstances are not there to motivate a settlement on Mars…or on any other planet. At World Government Summit. February 2018.

Note: this was the live presentation. You can now watch the edited version which includes the slides, at the World Government Summit channel at https://www.youtube.com/watch?v=ElCzY...

terça-feira, 13 de março de 2018

String Theory Explained – What is The True Nature of Reality? - Legendado

Is String Theory the final solution for all of physic’s questions or an overhyped dead end? This video was funded by SNSF under Agora Grant n. 171622 and through the NCCR SwissMAP: The Mathematics of Physics. Kurzgesagt Newsletter: http://eepurl.com/cRUQxz Support us on Patreon so we can make more videos (and get cool stuff in return): https://www.patreon.com/Kurzgesagt?ty=h Kurzgesagt merch: http://bit.ly/1P1hQIH Facebook: http://bit.ly/1NB6U5O Twitter: http://bit.ly/2DDeT83 Instagram: http://bit.ly/2DEN7r3 Discord: https://discord.gg/Fsstncs The music of the video here: Soundcloud: http://bit.ly/2CsAbob Bandcamp: http://bit.ly/2oHsSPZ Facebook: http://bit.ly/2qW6bY4 THANKS A LOT TO OUR LOVELY PATRONS FOR SUPPORTING US: Flavio Storino, Alice Balcon, Hari Krishnan, Warren Wiscombe, Sara Zeglin, Asiryan Alexander, maarten sprengers, William Northern, Kerem Mimaroglu, Yana Kultysheva, Josh, Keaton Anderson, Croconaw, Peter Steinberger, Jonathan Diamond, Troy McConaghy, Paddy, Darko Sperac, Peter Burkhalter, Chris Amaris, Tyler Lovell, John Ruble, Chase Henson, Arpita Singh, Edward C.P., Andreas Edlund, Ryan Bubinski, Paul Greyson, Jerry Ding, Austin Sundquist, Daniel Link, Tim Johnson, kayleigh dreste, Johan Sjöblom, Max Stuart, Mush Rain, Andor Baranyi, Eduardas Afanasjevas, Bill Clem, Jake Smith, Stephen Woerner, Jeff Sorensen, Christopher Damsgaard, Eduardo AV, Michael Gawenka, Florian Hoedt, Lucas Nyman, Nathanael Baker, Martin Wierzyk, Mauricio Streb, Karl, Rameet Chawla, Joachim Andersen, Avinash, Erik Golden, Glenn Stoltz, Elliott Nelson, Andrew Averett, Ben Wei Help us caption & translate this video! http://www.youtube.com/timedtext_cs_p... String Theory Explained – What is The True Nature of Reality?

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Da-2h2B4faU

FULL Elon Musk’s session at SXSW 2018 on latest news | March 11, 2018 - Legendado


SpaceX & Tesla CEO Elon Musk speaks about City on Mars, Lunar Base, Tunnels and Danger of AI within his special Q&A session at SXSW 2018 on March 11, 2018. Elon gives Mars Mission updates within this press conference. Elon Musk concludes the huge progress of SpaceX Falcon Heavy mission despite epic crash of central core of the historic rocket. Elon’s appearance massively impressed the audience of SXSW 2018. The richest person in the world answers to questions from the audience of SXSW 2018 Conference Event. He motivates people around the world to do great things!  

Elon Musk gives q & a session on his Nurallink project from the point of Artificial Intelligence. Elon thinks that AI is a lot more dangerous than Nuclear Weapon! This is crazy! 

Another part of Elon Musk’s speech as his SXSW 2018 Session is Starlink – Broadband Satellite Internet solution to provide access to the Internet by space-located satellites.  

This is the full version of Elon Musk’s special q&a session at SXSW 2018 3/11/2018. Main points of his speech are SpaceX Falcon Heavy launch future of Mission to Mars, BFR rocket test and Lunar Mission in 2019!

Like and Subscribe!!!

Please, visit http://sxsw.com for more information about SXSW 2018!

Source/credit: sxsw.com

MIT AGI: Computational Universe (Stephen Wolfram) - Legendado

Lex Fridman

This is a talk by Stephen Wolfram for course 6.S099: Artificial General Intelligence. This class is free and open to everyone. Our goal is to take an engineering approach to exploring possible paths toward building human-level intelligence for a better world. 

Course website: https://agi.mit.edu
Contact: agi@mit.edu Playlist: https://goo.gl/tC9bHs

- Subscribe to this YouTube channel
- LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/lexfridman
- Twitter: https://twitter.com/lexfridman
- Facebook: https://www.facebook.com/lexfridman
 - Instagram: https://www.instagram.com/lexfridman
- Slack: https://deep-mit-slack.herokuapp.com

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=P7kX7BuHSFI

quinta-feira, 8 de março de 2018

CES 2018 Keynote by Intel’s CEO, Brian Krzanich - Legendado


About Intel: Intel, the world leader in silicon innovation, develops technologies, products and initiatives to continually advance how people work and live. Founded in 1968 to build semiconductor memory products, Intel introduced the world's first microprocessor in 1971. This decade, our mission is to create and extend computing technology to connect and enrich the lives of every person on earth.

Connect with Intel: Visit Intel WEBSITE: http://intel.ly/1WXmVMe 
Like Intel on FACEBOOK: http://intel.ly/1wrbYGi 
 Follow Intel on TWITTER: http://intel.ly/1wrbXC8 
Follow Intel on INSTAGRAM: http://bit.ly/1OJuPTg 
 Visit iQ: http://intel.ly/1wrbXCd

CES 2018 Keynote by Intel’s CEO, 
Brian Krzanich https://www.youtube.com/user/channeli...

 Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=RlJ9zB74G_U

Intel presents Neuromorphic Computing at CES 2018 - Legendado


Intel’s CEO Brian Krzanich speaks on Neuromorphic Computing and Intel’s own Drone within CES 2018 Keynote on January 9. Intel’s CEO tells about huge collaboration within Olympic Winter Games in South Korea. Intel at CES 2018 announces their own Drone, which is able to work safely in closed space without GPS signal. Intel presents deep collaboration in autonomous vehicles. This is the extended highlights version of Intel’s CES 2018 Event Press Conference on January 9. 

 Like and Subscribe!!! source: intel.com

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=q2z5o4ZoZrU

terça-feira, 6 de março de 2018

Your Life in 2027: A Look at the Future | Vivek Wadhwa (Full Video) - Legendado

Between driverless cars and AI and gene modification technology, we're about to see a lot of very big changes in a short amount of time. But there's a danger of people rebelling because things moved too fast. Imagine an angry, jobless populace once driverless cars take away the transportation industry and electric cars take away the gas industry. Will politicians have to enact universal basic income? It's a sobering reminder that we are—as a country and as a species—still adapting to an every changing world. Even if it's a world that we designed. Vivek tackles this and a host of other issues (as well as some great things to look forward to) in our first long-form video.
Vivek is the author of The Driver in the Driverless Car: How Our Technology Choices Will Create the Future.
Intro / The Future 0 - 5:26
Health - 5:26 to 11:09
Artificial Intelligence - 11:09 to 15:53
On Demand - 15:53 to 18:35
Energy - 18:35 to 25:29
Jobs - 25:29 to 29:52
Big Decisions - 29:52 to 34:38
Read more at BigThink.com: http://bigthink.com/videos/vivek-wadh...
Follow Big Think here:

Robots que nos ayudarán a cuidar de nuestros mayores - Subtitled

Suscríbete a nuestro canal de youtube: http://bit.ly/1JHCOQ1
Síguenos en Twitter: https://twitter.com/EsApasionante

Cada vez somos más viejos. No individualmente (que también, pero eso es una obviedad que todos ratificamos día a día), sino como sociedad global. Según datos de las Naciones Unidas, actualmente en el planeta hay alrededor de un 13 por ciento de personas mayores de 60 años, es decir, unos 962 millones de seres humanos han alcanzado esa edad en la que, en el mejor de los casos, se empieza a pensar en el retiro. Ese grupo crece además a un ritmo del tres por ciento y en Europa ya representa un cuarto del total de población, un porcentaje que será similar en el resto del mundo, a excepción de África, para el 2050. Si las previsiones de la ONU se cumplen, al final de este siglo 3.100 millones de personas habrán superado los 80 años. Con estos datos no es extraño que el envejecimiento de la población sea uno de los temas que Gobiernos, instituciones y empresas están afrontando con mayor interés. Porque sus implicaciones económicas y sociales serán muy relevantes en las próximas décadas. Joseph Coughlin, director del AgeLab del MIT, en su libro The Longevity Economy arroja algunas preguntas que seguramente todos deberíamos hacernos cuando estemos cerca de nuestra jubilación. Cuestiones aparentemente triviales como "¿Quién cambiará mis bombillas?" o "¿Cómo conseguiré un helado?" o "¿Con quién comeré?". En esas preguntas simples se condensa la clave del bienestar, porque acercan al ámbito de lo cotidiano algunos de los temas que más preocupan a los ancianos: la soledad, la movilidad, la salud o si las nuevas tecnologías son suficiente para mantener la cercanía emotiva con la familia. Y es aquí precisamente, en la tecnología, donde se pueden encontrar las soluciones a muchos de los retos que, indefectiblemente, habrá que afrontar frente al envejecimiento de la sociedad.

Las investigaciones de Coughlin se centran en cómo influyen en los Gobiernos y las empresas los cambios demográficos, las tendencias sociales y el comportamiento de los consumidores. En especial las interacciones entre las distintas generaciones y el aporte que pueden hacer las nuevas tecnologías como la inteligencia artificial o la robótica para resolver lo que él llama la paradoja de la longevidad: “Nos hemos inventado una nueva fase de la vida. Y tenemos la tecnología necesaria para vivir más tiempo y mejor”. La robótica está llamada a jugar un papel capital en esta etapa con proyectos como GrowMeUp, financiado por la Unión Europea, que busca desarrollar un tipo de robot asistencial que sirva como ayuda y compañía a los ancianos. El portugués Luis Santos, jefe de proyecto, hace referencia a una de las grandes necesidades de los mayores: “el problema principal seguramente es la soledad. El hecho de ser capaces de conectar con un robot e incluso mantener una conversación con él, los hace mucho más atractivos y útiles”.    
Los robots solucionarán problemas de movilidad, de cuidado médico o de comunicación. Pero, sobre todo, nos darán compañía y apoyo en una etapa de la vida en la que resulta fundamental sentirse conectado con la sociedad para que las limitaciones físicas no nos aíslen del mundo. Pero, ¿cómo se habla con un robot? ¿Cómo se consigue que nos entienda y haga exactamente lo que necesitamos? En eso trabaja actualmente el equipo de Santos: “el problema principal que observamos desde el punto de vista tecnológico es que todo lo que funciona en un laboratorio puede no hacerlo en un entorno real. Porque los ancianos tienen formas diferentes de hablarle al robot, formas diferentes de interactuar con ellos, diferentes capacidades para relacionarse con la tecnología”. Lo que Santos expresa es que necesitamos robots de un aspecto amigable, que nos entiendan y ayuden, que nos hagan la compra pero también con los que conversar y reírnos. O, como sintetizaba en un artículo reciente Coughlin para explicar el objetivo del MIT AgeLab: “queremos construir un robot con el que tomarnos una cerveza”.    
Entrevista y edición: Zuberoa Marcos, Maruxa Ruiz del Árbol, Crisitna López Texto: José L. Álvarez Cedena

quinta-feira, 1 de março de 2018

With artificial intelligence, museums want to get closer to the visitor - Com inteligência artificial, museus querem se aproximar do visitante - IBM Watson.

Após passar por São Paulo e responder sobre obras, tecnologia usada em exposição do Museu do Amanhã, no Rio, faz perguntas ao público como forma de gerar mobilização

por Camila Leporace 
No Museu do Amanhã do Rio de Janeiro, além de contemplar a exposição principal, agora os visitantes podem viver uma experiência inovadora que os envolve de forma ativa com os temas abordados. Trata-se da IRIS+, um recurso digital interativo que tem por trás a tecnologia de inteligência artificial da IBM, chamada Watson. A IRIS+ é apresentada como uma extensão da exposição. “É uma inteligência cognitiva que transpõe o espaço físico do museu”, conta o editor artístico da instituição, Eduardo Carvalho. Ao entrar no Museu do Amanhã, cada visitante recebe um cartão da IRIS, a assistente virtual que se conecta com o conteúdo da exposição principal. O conteúdo é dividido em cinco eixos: Cosmos, Terra, Antropoceno, Amanhãs e Nós. Por meio desse cartão, o público pode interagir com a exposição de diversas formas, e o museu, por outro lado, registra as suas interações. Essa tecnologia já estava disponível por lá. Mas a IRIS+ inova ao dar voz à assistente virtual, potencializando essa troca.
Para interagir com a tecnologia, o visitante utiliza fones de ouvido e um tablet, além de um leitor do cartão da IRIS. Ao passar o cartão no leitor, é saudado pela IRIS+, que também o questiona sobre o que mais lhe preocupou ao longo da exposição. De acordo com a resposta – por voz ou digitando no tablet (a tecnologia trabalha decodificando a voz em texto) – a IRIS+ fornece uma série de informações. Por fim, a inteligência artificial pergunta ao visitante o que ele acredita que pode fazer para contribuir positivamente com aquele problema. Para que consiga colocar a mão na massa, é sugerida uma série de opções de trabalhos em ONGs e instituições, voltados para a temática que ele destacou.
Durante a preparação para o lançamento do projeto no Museu do Amanhã, foram cadastradas várias possibilidades de respostas que o público poderia dar, para que a tecnologia fosse treinada e soubesse fornecer conteúdo sobre cada um deles. Essa fase contou com o envolvimento de cerca de 800 participantes, que levantaram temas ligados à realidade da população carioca. Segundo editor artístico Eduardo Carvalho, a questão da violência, por exemplo, foi citada por crianças de um bairro da zona oeste da cidade que diziam viver em constante estado de vigilância após terem presenciado casos de assassinatos perto de onde moram.

Segundo o editor artístico, a estratégia permite um engajamento real e concreto do visitante, que consegue levar adiante o conhecimento adquirido e até mesmo participar de atividades que contribuam para enfrentar os problemas do mundo real. Até o momento, a IRIS+ tem cerca de 90 temas cadastrados – entre eles, violência, educação, tráfico de drogas, tráfico de armas, preconceito, machismo, trabalho infantil, novas tecnologias, saúde, alienação e engajamento político. No começo da exposição, em dezembro, havia 240 iniciativas de mais de 100 ONGs brasileiras cadastradas, mas novas organizações são adicionadas constantemente para acompanhar os novos temas que aparecem.
O aprendizado da máquina não é 100% automatizado. Profissionais responsáveis pela exposição decidem o que vale a pena ser incorporado à base do sistema à medida que o público interage com o recurso. Identificam, ainda, possíveis necessidades de adequação das informações fornecidas. Como explica Fabrício Barth, líder técnico do IBM Watson no Brasil e América Latina, apesar de a tecnologia ser tecnicamente capaz de buscar informações até mesmo em fontes online, esse recurso não se adequa ao caso dos museus, já que essas instituições têm uma responsabilidade com o que é passado aos visitantes e, assim, a curadoria do conteúdo torna-se indispensável. Outra particularidade da exposição do Rio de Janeiro é o uso da tecnologia Watson para prever respostas, ao contrário do que acontece em outras experiências.
Na tecnologia Watson adotada no Museu do Amanhã, quem faz a pergunta é a exposição. “Na maioria das vezes, treinamos o sistema para entender a intenção de uma pergunta, enquanto no Museu do Amanhã isso foi feito para entender a intenção por trás de uma resposta. A dificuldade está em que a resposta é geralmente um conteúdo mais longo e menos objetivo que uma pergunta”, diz Barth.

Educação para um mundo de tecnologias
Além de aumentar o envolvimento com a temática do museu e transcender seus limites físicos, gerando um engajamento concreto com as questões apresentadas, o Museu do Amanhã espera aproximar os visitantes também do próprio uso das tecnologias. Há visitantes que, quando perguntados pela IRIS+ quanto ao que mais os preocupa, respondem: “você”. Segundo o editor artístico, isso acontece porque ainda há muito receio quanto às evoluções tecnológicas e, portanto, a ideia é que o Museu contribua para a educação para a tecnologia, a partir do contato das pessoas com a inteligência artificial.
A estudante de História da Arte Thayná Freitas, de 21 anos, experimentou a novidade e gostou. “É legal porque faz você pensar sobre as questões do mundo, teve pergunta (que a IRIS+ fez para ela) que eu não soube responder direito”. Já a estudante de letras Rebeca Souza, também de 21 anos e amiga de Thayná, preferiu apenas observar. Ela diz ter ficado tímida diante da possibilidade de interagir com a máquina. “Não estamos acostumados, é uma experiência muito diferente”, opina, comentando que acredita que as crianças, ao interagir com as novas tecnologias ainda bem jovens, deverão chegar à idade adulta com mais facilidade para lidar com elas. Marcos Gabriel de Oliveira, de 11 anos e estudante do 7º ano, conta que uma de suas maiores preocupações, revelada à IRIS+, é com os vícios, e que pretende ajudar as pessoas a combatê-los. “Aprendi que a tecnologia não é só isso e pode ajudar muitas pessoas”.
Pinacoteca de São Paulo
Na Pinacoteca de São Paulo, a tecnologia de inteligência artificial Watson ganhou vida no projeto “A voz da arte”, que ficou em cartaz de abril a dezembro de 2017. Na ocasião, era o visitante quem fazia perguntas sobre as obras, obtendo as respostas sobre a vida do autor e contexto de sua criação. Para que a conversa com o público fosse possível, a solução da IBM precisou apenas de ideias e exemplos básicos para fazer as primeiras conexões e absorver informações novas. Segundo Barth, não é necessário que ele armazene uma quantidade muito grande de dados para começar.
Para esse treinamento introdutório ao sistema, as áreas de curadoria e educação selecionaram sete obras de artistas brasileiros desde o século 18 até a contemporaneidade. Depois, foi criado um banco de dados com inúmeras possíveis dúvidas sobre as obras de arte e fornecidas as bases de dados e de pesquisa para coletar respostas potenciais às possíveis perguntas como livros, pesquisas acadêmicas, materiais educativos e catálogos. Por fim, a equipe envolvida no projeto trabalhou para aferir possibilidades de respostas para aquelas questões.
No museu paulistano, a interação entre os visitantes e as obras de arte aconteceu por meio do uso de equipamentos semelhantes: fones de ouvido e celulares entregues no começo da visita, além de beacons (dispositivos colocados nas paredes do museu que enviavam avisos aos celulares dos visitantes para alertar que determinada obra de arte contava com a possibilidade de interação via inteligência artificial). Uma vez de frente para a obra, o público podia fazer as perguntas desejadas.

Desafios a resolver
Apesar de avaliar que o objetivo traçado para “A voz da arte” foi alcançado, Milene Chiovatto, coordenadora de educação da Pinacoteca, ainda se pergunta se o recurso será capaz de contribuir para gerar um interesse genuíno pela arte em si. “A experiência com a tecnologia muitas vezes suplanta a experiência com a arte. E não é possível determinar se os públicos mobilizados pela tecnologia vão voltar ao museu, ou mesmo se interessar pela cultura ou pela arte futuramente”, reflete.
Além disso, a educadora da Pinacoteca questiona até que ponto a tecnologia atual já permite um diálogo com a máquina dentro de uma dinâmica realmente semelhante à de um diálogo natural. “Para que isso aconteça, a tecnologia de inteligência artificial deverá avançar em dois sentidos: primeiro na capacidade de empatia, ou seja, na busca de um caminho de sentido comum para com o outro dialogante. E também na capacidade de discutir valores e definições conceituais, sem assumir como verdade um único enunciado. É a capacidade de sermos plásticos, moldáveis e de reavaliar nossas próprias premissas que nos faz humanos”.
Milene coloca algumas perguntas para refletirmos acerca do uso da tecnologia na arte: seriam as formas de mediar o encontro com a arte tão múltiplas como a própria arte? Será a inteligência artificial o futuro do museu? E da educação?
Serão as tecnologias de computação cognitiva o futuro da humanidade? Poderiam os recursos como o Watson substituir o contato com o outro? “Por enquanto, ainda cabe a nós, humanos, emprestar à máquina nosso discernimento, aferindo a validade e adequação de suas respostas. É possível que no futuro a tecnologia prescinda de nós até para isso”, acredita a educadora.


Museu do Amanhã 
Endereço: Praça Mauá, 1 – Centro – Rio de Janeiro.
Horário: terça a domingo, das 10h às 18h (com a última entrada às 17h. Ingressos podem ser adquiridos online)

Davos 2018-Harari: An Algorithm Will Be Your Best Therapist, But It Can Be Hacked Too - Legendado

Best Selling Author and Professor Yuval Noah Harari talks about how big data can reveal everything about an individual, even things that are not known to the individual himself. The same data,however, can also be hacked, with personal and political complications. Best sellers written by Harari include “Sapiens: A Brief History of Humankind” and “Homo Deus: A Brief History of Tomorrow”, published in 40 languages. Gillian Tett U.S. Managing Editor, Financial Times interviews the author at the end. January 2018.

Looking Beyond 2050 — On Earth and in Space with Lord Martin Rees - Legendado

(Visit: http://www.uctv.tv/) Cosmologist, noted author, Astronomer Royal and recipient of the 2015 Nierenberg Prize for Science in the Public Interest Lord Martin Rees delivers a thought-provoking and insightful perspective on the challenges humanity faces in the future beyond 2050. Series: "Frontiers of Knowledge" [3/2016] [Science] [Show ID: 30476]

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=KKS5MR9nxkg&t=1559s

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

What will be the next big scientific breakthrough? | Eric Haseltine - Legendado


Throughout history, speculation has spurred beautiful, revolutionary science — opening our eyes to entirely new universes. "I'm not talking about science that takes baby steps," says Eric Haseltine. "I'm talking about science that takes enormous leaps." In this talk, Haseltine passionately takes us to the edges of intellectual pursuit with two ideas — one that's already made history, and the other that's digging into one of humanity's biggest questions with admirable ambition (and a healthy dose of skepticism from many).

TEDTalks is a daily video podcast of the best talks and performances from the TED Conference, where the world's leading thinkers and doers give the talk of their lives in 18 minutes (or less). Look for talks on Technology, Entertainment and Design -- plus science, business, global issues, the arts and much more.

Find closed captions and translated subtitles in many languages at http://www.ted.com/translate 
Follow TED news on Twitter: http://www.twitter.com/tednews 
Like TED on Facebook: https://www.facebook.com/TED 
Subscribe to our channel: http://www.youtube.com/user/TEDtalksD...

These exoskeletons can help prevent worker injury - Legendado

The Verge

Exoskeletons have been around for decades, both in real life and in science fiction. But the latest wave of exoskeletons are advanced enough that they’re being tested in automobile factories, with the hopes of preventing injury, and can even allow paralyzed people to walk. In the season 2 finale of Next Level, Lauren Goode reports from a Ford factory in Michigan where they are beta-testing an exoskeleton vest on one select employees to reduce workplace injuries.

Subscribe: https://goo.gl/G5RXGs

Check out our full video catalog: https://goo.gl/lfcGfq
Visit our playlists: https://goo.gl/94XbKx
Like The Verge on Facebook: https://goo.gl/2P1aGc
Follow on Twitter: https://goo.gl/XTWX61
ollow on Instagram: https://goo.gl/7ZeLvX
Read More: http://www.theverge.com

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=5cvYKWHa2oM

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Inside the mind of a master procrastinator | Tim Urban - TED - Legendado


Tim Urban knows that procrastination doesn't make sense, but he's never been able to shake his habit of waiting until the last minute to get things done. In this hilarious and insightful talk, Urban takes us on a journey through YouTube binges, Wikipedia rabbit holes and bouts of staring out the window -- and encourages us to think harder about what we're really procrastinating on, before we run out of time.

For more from Tim Urban, visit Wait But Why: http://www.waitbutwhy.com/ 

TEDTalks is a daily video podcast of the best talks and performances from the TED Conference, where the world's leading thinkers and doers give the talk of their lives in 18 minutes (or less). Look for talks on Technology, Entertainment and Design -- plus science, business, global issues, the arts and much more. Find closed captions and translated subtitles in many languages at http://www.ted.com/translate  

Follow TED news on Twitter: http://www.twitter.com/tednews 
Like TED on Facebook: https://www.facebook.com/TED

Subscribe to our channel: http://www.youtube.com/user/TEDtalksD...

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

What Happened Before History? Human Origins - Legendado

Use the URL: http://www.audible.com/nutshell to get a free audiobook and 30 days free trial and support this channel. Thanks a lot to Audible for supporting us! 

 Humans. We have been around for a while now. When we think about our past we think about ancient civilizations, the pyramids, stuff like that. But this is only a tiny, tiny part of our history.

 Support us on Patreon so we can make more stuff (and get cool stuff in return): https://www.patreon.com/Kurzgesagt?ty=h 

Kurzgesagt merch here: http://bit.ly/1P1hQIH 
Get the music of the video here: soundcloud: http://bit.ly/28Ze6Ni